domingo, 10 de julho de 2011

Quem tem pressa... espera aí.

Este post é uma reflexão do que aconteceu recentemente comigo (e tantas outras vezes mais). Sem dúvidas, uma das coisas que mais me irritam na face da terra é: pessoas que andam "desfilando" na minha frente. Muitas das vezes que cogitei a ideia de ir ao shopping, por exemplo, foram deixadas pra trás pelo fato de me imaginar no meio de uma multidão, tentando passar pelas pessoas e ficando irritada por vê-las caminhando como se não houvesse amanhã. Me sinto o Michael Schumacher com um monte de Rubinho Barrichelo à minha frente, tirando o fato que elas NÃO abrem caminho para mim, claro.

Pior então são aquelas pessoas que INSISTEM em atrapalhar a passagem das outras. Exemplos mais comuns: gente que fica parada bem na porcaria da porta do ônibus/metrô sendo que NÃO vai descer na próxima parada; gente que fica bem na entrada das lojas vendo vitrines e impedindo que as demais pessoas entrem (já desisti de fazer muitas compras por isso também); gente que fica bem na frente da escada-rolante. Vai subir/descer ou não, criatura? - ah sim, essa última também vale pros casaizinhos que ficam se beijando na escada-rolante, achando que é a cena mais romântica da face da terra, e desrespeitando o aviso de "permaneça à direita".


Nem é questão de "Ai, Anne. Como você é estressada!" não. Pra mim, tudo isso é uma questão de respeito com o próximo. Mas parece que a grande maioria das pessoas esqueceu a educação em casa, né?

E você? Concorda?

=

PS: Em tempo, PRE-CI-SO comentar algo cômico de ontem a noite: saindo do metrô Tatuapé, eu e o meu namorado fomos pegar ônibus no terminal. Como todo mundo de SP sabe, graças ao nosso amado bilhete único, não existe mais a opção de entrar pela porta de trás nos terminais. Porém, chegando no ponto, vimos que o ônibus estava com a porta de trás aberta. Sem mais nem menos, subimos. E a porta se fechou logo depois que entrei. Sentamos, olhei pro meu namorado e falei: "Amor... acho que devíamos ter entrado pela frente." Olhamos ao redor e TODO MUNDO do ônibus estava olhando pra gente. Na maior cara de pau, falei: "Qualquer coisa, você é de Sorocaba mesmo."

Coisas que vamos contar pros nossos netos um dia.
:)